top of page

Bem-vindo ao blog da Plataforma Engo

Aqui você vai encontrar os mais diversos posts voltados para o ramo da construção civil!

Novidades e inovações na construção civil

Dicas de técnicas de trabalho

Materiais de estudo para concursos

e muito mais...

Design sem nome (7).png
Design sem nome (8).png

Orçamentos de obras


Orçamentos e composições de custos são tópicos carimbados em provas de concursos de engenharia civil. Para o nosso estudo, vamos ver as partes mais importantes e cobradas nas provas.


  • Orçamentos

O orçamento da obra é o cálculo que se faz para determinar todos os gastos de uma obra e ajuda tanto o proprietário da obra quanto o construtor a manter um controle de gastos mais eficiente. Não é preciso nem falar de sua importância, certo?

  • Composições de custos

As composições de custos unitários nada mais são do que tabelas que expressam todos os insumos que compõe diretamente a execução de algum serviço, com seus respectivos coeficientes de utilização e custos unitários de cada mão de obra.

É comum em provas cobrarem cálculos simples de composição de custos, mas neste post irei abordar apenas a parte conceitual, ok.

Vejamos os principais conceitos de uma composição de custos:

Insumo: Bem ou serviço utilizado na produção de um outro bem ou serviço. Nesse grupo estão os produtos usados na fabricação (matéria-prima), o maquinário, a energia e a própria mão de obra empregada.

Coeficiente: é a quantidade do insumo utilizada para obtenção de 1 unidade do serviço. Unidade: unidade de medida do insumo, pode ser Kg, m³, m², un, hora, entre outras. Custo unitário: é o custo de aquisição de uma unidade do insumo.


Custo unitário básico (CUB): Custo por metro quadrado de construção do projeto padrão considerado, calculado de acordo com a metodologia estabelecida pelos sindicatos. É o principal indicador do setor da construção civil


  • O projeto padrão são projetos selecionados para representar os diferentes tipos de edificações, que são usualmente objeto de incorporação para a construção em quanto tempo os domínios juntos tão juntos de edificações, definidos por suas características principais, como número de pavimentos, número de dependências por unidade, padrão de acabamento da construção e número total de unidades


Custo unitário da construção: É o quociente da divisão do custo global da construção pela área da construção global


Custo unitário nas obras e serviços: Detalhamento do custo unitário do serviço que expresse a descrição, quantidades, produtividades e custos unitários de materiais, mão de obra e equipamentos necessários à execução de uma unidade de serviço. Custo total: é o custo total do insumo necessário para a realização de uma unidade de serviço. Multiplicação do coeficiente pelo custo unitário ou simplesmente da quantidade pelo custo unitário.


Custo analítico: Contém a composição de serviços, cujo detalhamento pode ser visualizado em entidades como SINAPI,DNIT,CEF.


Apropriação de custos: É a verificação in loco dos custos efetivos de execução dos serviços, como a medição dos materiais e equipamentos empregados e dos tempos dedicados pelos operários em cada tarefa. É uma técnica de fiscalização de serviços de engenharia.



Para a realização de orçamentos, devem-se organizar os elementos identificados no estudo, d acordo com as prioridades:

  • Avaliar documentos e informações complementares (prazo, condições de execução, entre outros);

  • Identificar os itens e discriminação orçamentária preliminar dos serviços;

  • Quantificação e listar os materiais, mão de obra, serviços...;

  • Realizar a composição de custos, análise de BDI, análises de prazos e viabilidade; ajustes finais;


Um Orçamento com efeito técnico deve conter tudo o que é pertinente em uma obra ou serviço, tais como:

  • Apresentação da empresa;

  • Quadro técnico;

  • Memória descritiva;

  • Relatório Fotográfico;

  • Mapa de Trabalhos e Quantidades;

  • Descrição dos serviços oferecidos;

  • Planilha de Custos;

  • Cronograma de Execução;

  • Prazo de Entrega;

  • Validade da Proposta;

  • Fichas técnicas dos produtos mais relevantes.

Tenho visto em algumas provas, a cobrança de conceitos mais técnicos de alguns itens relacionados aos tópicos acima, como:


Discriminação técnica: É o documento escrito do projeto que de forma precisa, completa e ordenada, descreve os materiais de construção a serem utilizados, indica os locais onde estes materiais devem ser aplicados e determina as técnicas exigidas para o seu emprego.


Memorial justificativo: Apresenta o partido arquitetônico adotado que é definido no estudo preliminar. É o texto que evidencia o atendimento às condições estabelecidas no programa de necessidades. Segundo a NBR 7190, o memorial descritivo deve conter

  • Descrição do arranjo global tridimensional da estrutura

  • Esquemas adotados na análise dos elementos estruturais e identificação de suas peças.

Memorial descritivo: Condições mínimas a serem obedecidas na execução de obras e serviços.


Especificações técnicas: Documento onde está descrito de forma precisa, completa e ordenada os materiais e os procedimentos de execução a serem adotados na construção.


Projeto legal: Etapa destinada à representação das informações técnicas necessárias à análise e aprovação, pelas autoridades competentes, da concepção da edificação e de seus elementos e instalações com base nas exigências legais


TIPOS DE ORÇAMENTOS DE OBRAS


  • Avaliações iniciais e estimativas de custo - Grau baixo de precisão

A estimativa de custos funciona como uma avaliação rápida em que se busca conhecer os custos de um projeto de engenharia. É realizada nas etapas iniciais do projeto e, em decorrência da pouca quantidade de informações sobre o mesmo, utiliza custos históricos e dados genéricos de obras similares para fornecer noções sobre a ordem de grandeza do custo do empreendimento.


No caso de edificações, um indicador bastante utilizado nas fases de estudo de viabilidade e anteprojeto é o custo unitário por metro quadrado (CUB/m2). Um indicador calculado e fornecido pelos sindicatos da construção estaduais (os SINDUSCONs) e que considera o tipo de construção e seu padrão de acabamento. Essas duas informações permitem obter, na série histórica do CUB/m2, um valor de custo por metro quadrado para determinados tipos de edificação, que deve ser multiplicado pela área construída (e após acrescido de custos não considerados no CUB/m2) para se determinar o custo da edificação.


Muitos autores chamam esta etapa de ORÇAMENTO PARAMÉTRICO: É uma orçamento aproximado, adequado às verificações iniciais, como estudo de viabilidade ou consultas rápidas de clientes. Por exemplo: Se os projetos não estão disponíveis, o custo de obra pode ser determinado por área ou volume construído.


Outros autores podem chamá-lo de ORÇAMENTO ESTIMATIVO: Quando é calculado com base no projeto básico sem se ater a detalhes da construção e sujeito a alterações posteriores.


  • Orçamento preliminar (orçamento preliminar estimativo)- Grau mediano de precisão


É mais detalhado que a estimativa de custos e requer o levantamento do quantitativo de alguns itens. Geralmente, é feito após a elaboração do anteprojeto arquitetônico. O orçamento preliminar é uma estimativa de custos aprimorada, que leva em consideração o levantamento de alguns quantitativos simples, incluindo noções sobre a quantidade de alguns materiais, como aço, madeira, concreto, dentre outros.


  • Orçamento expedido ou sintético ou detalhado:


O orçamento sintético corresponde à planilha orçamentária, na qual são apresentados todos os serviços necessários, com suas respectivas informações sobre unidade de medida, custo unitário e quantidade.

De acordo com o TCU, os orçamentos sintéticos devem ser preferencialmente elaborados incluindo os percentuais de BDI, uniformes ou diferenciados, nos preços unitários dos serviços. Mas é possível que o percentual seja descrito no fim da planilha e o preço da obra seja obtido através da soma dos custos dos serviços com a parcela correspondente ao BDI.

No orçamento sintético os serviços podem ser divididos conforme sua similaridade e ordem cronológica de execução, a fim de facilitar o processo de controle e medição. É comum a divisão da obra por trechos, existindo orçamentos sintéticos para cada um deles.


  • Orçamento Analítico


Apresenta as composições de custo unitário para cada um dos serviços apresentados na planilha orçamentária. As composições de custo unitário definem o valor necessário para executar uma unidade do serviço e baseiam-se em coeficientes de consumo e aproveitamento de materiais, assim como coeficientes de produtividade de mão de obra e equipamentos.

Compreende a avaliação do custo através da composição de custos unitários, com nível de precisão adequado obtido através do levantamento de quantidades, materiais, serviços e equipamentos, realizado na etapa de projeto. Inclui todos os custos diretos, despesas indiretas, tributos e o lucro do construtor. A elaboração do orçamento analítico requer que os projetos básicos estejam prontos, pois os quantitativos adotados na planilha devem ser obtidos a partir desses projetos com a maior precisão possível.



*ORÇAMENTO SUMÁRIO: É o método mais preciso para a valiação de custos de uma determinada obra


*ORÇAMENTO DEFINITIVO: Quando calculado com base em projeto executivo completo


O orçamento é composto basicamente por duas partes: Custo direto+BDI

bottom of page