top of page

Bem-vindo ao blog da Plataforma Engo

Aqui você vai encontrar os mais diversos posts voltados para o ramo da construção civil!

Novidades e inovações na construção civil

Dicas de técnicas de trabalho

Materiais de estudo para concursos

e muito mais...

Design sem nome (7).png
Design sem nome (8).png

Vistoria e perícias: Conceitos mais cobrados


A título de complementação, vamos introduzir este post, considerando os procedimentos gerais na avaliação de bens com base na NBR 14653, onde temos diferentes tipos de benfeitorias: benfeitorias necessárias, benfeitorias úteis e benfeitorias voluptuárias.


As benfeitorias são bens acessórios introduzidos em um bem móvel ou imóvel, visando a sua conservação ou melhora da sua utilidade. Em quanto os frutos e produtos decorrem do bem principal, as benfeitorias são nele introduzidas.


  • Benfeitorias necessárias – Indispensável para conservar o bem ou evitar a sua deterioração. São as que têm por fim conservar ou evitar que o bem se deteriore. Exemplo: a reforma do telhado de uma casa.

  • Benfeitorias úteis – Aumenta ou facilita o uso do bem, embora dispensável, tornando-a mais útil. Exemplo: instalação de uma grade na janela de uma casa.

  • Benfeitorias voluptuárias – Visa simples deleite ou recreio, sem aumentar o uso normal do bem. São as de mero deleite, de mero luxo, para tornar mais agradável o seu uso. Exemplo: piscina.


A perícia é um exame técnico de caráter especializado. Na Engenharia ela é de fundamental importância para a segurança do usuário de edificações, já que através dela é feita a prevenção de possíveis desastres. Isso é feito por meio de laudos e estudos aprofundados que detectam o grau de comprometimento de estruturas.


Os resultados das perícias são muito utilizados no meio judicial, para apurar responsabilidades e corrigir problemas, é usual o chamamento dos peritos, não só para apurar as causas, como também para darem seus pareceres sobre as medidas técnicas corretivas ou de avaliação posterior e são diagnósticos. Costumam-se denominar todas as ferramentas de investigação de “perícia”, confundindo diagnóstico com ferramentas de investigação técnica, avaliação ou medidas de correção técnica, porém veremos que são conceitos diferentes no decorrer deste post.


A investigação técnica vai determinar se a origem do fato que levou a perícia é endógena (projeto, execução e materiais), exógena (fatores externos), natural (clima) e funcional (degradação e uso intenso), cabendo ressaltar que a determinação da origem precede a os diagnósticos do mecanismo de ação e causa.



Para este tópico não há muito segredo de estudo, o ideal é ler bem as questões e conhecer os conceitos mais cobrados. vejamos


  • Vistoria: é a constatação de um fato mediante exame circunstanciado e descrição minuciosa dos elementos que o constituem sem a indagação das causas que a motivaram

  • Arbitramento: atividade que envolve a tomada de decisão ou posição entre alternativas tecnicamente controversas ou que decorrem de aspectos subjetivos

  • Avaliação: é atividade que envolve a determinação técnica do valor monetário de um bem, de um direito ou de um empreendimento.

  • Perícia: é a atividade que envolve a apuração das causas que motivaram determinado evento ou da asserção de direitos, como exemplo: arbitramentos avaliações e vistorias. A perícia resulta exclusivamente no diagnóstico final e completo do evento, podendo ser conceituada como a investigação técnica que determina a origem, o mecanismo de ação e causa de um fato, condição ou direito relativo a uma construção

  • Laudo: é a peça no qual o perito, profissional habilitado, relata o que observou e dá suas conclusões ou avalia o valor de acordo de coisas ou direitos.

* Laudo de avaliação: Relatório técnico sobre a análise realizada por um ou mais profissionais, com o objetivo de identificar o valor de um bem, de seus custos, frutos e direitos, assim como determinar indicadores da viabilidade de sua utilização econômica, para uma determinada finalidade,

  • Auditoria: é uma atestamento técnico de conformidade ou não de um fato, condição ou direito relativo a um objeto.

  • Inspeção: é a análise técnica de determinado fato, condição ou direito relativo a um objeto , com base em informações genéricas e intepretação baseada na experiência do inspetor.

  • Consultoria: prescrição técnica a respeito de um fato, condição ou direito relativo a um objeto

  • Exame: Inspeção por meio de perito, sobre pessoas, coisas móveis para verificação de fatos ou circunstâncias que interessem a causa

  • Parecer: opinião fundamentada sobre determinado assunto emitida por especialistas. É a conclusão dada por um profissional sobre determinado assunto em caráter consultivo

  • Enquete de perícia: relatório técnico elaborado por engenheiros de avaliações e conformidade com a NBR 14 653


Vamos ver agora alguns conceitos, que também são muito cobrados, sobre vícios e danos à uma edificação.



  • Dano: ofensa ou diminuição do patrimônio moral ou material de alguém, resultante de delito extracontratual ou decorrente da instituição de servidão

  • Decadência: Perda, perecimento ou extinção de direto em si, por consequência da inércia ou negligência no uso do prazo legal ou direita que estava subordinada

  • Defeitos: Decrepitude, pela idade e vida útil, deterioração pelo desgaste ou falha de componentes, mutilação pela retirada de componentes, obsolência.

  • vícios: anomalias que afetam o desempenho de produtos ou serviços ou que os tornam inadequados aos fins a que se destinam, causando transtornos ou prejuízos materiais ao consumidor. Podem decorrer de falhas de projeto ou de execução ou ainda de informação defeituosa sobre sua utilização ou manutenção

  • Avaria: dano causado a qualquer bem, ocasionado por defeitos ou outra causa a ela externa

  • Mutilação: Depreciação de um bem devido a retirada de um ssitema ou componentes originalmente existentes.

  • Deterioração: desgaste dos componentes de um bem em razão de uso ou manutenção inadequada

  • Decrepitude: desgaste das partes constitutivas de um bem, em consequência de seu envelhecimento natural em condições normais de utilização e manutenção.


Imóvel adaptado: Imóvel adequado a uma nova destinação, sem o comprometimento de sua significação cultural.


Imóvel restaurado: Imóvel restabelecido, com o máximo de exatidão, ao estado anterior.


Imóvel preservado: Imóvel mantido no estado da sua substância com a desaceleração do processo pelo qual ele se degrada.


Imóvel reconstruído: Imóvel que passou pelo processo de restabelecimento da sua substância a um estado anterior.

bottom of page